Quanto tempo demora um mês pra passar?

Biquíni Cavadão – Quanto Tempo Demora um Mês

Todo mundo sabe que muitas coisas, quando estão perto do fim demoram muito mais a passar. Se estamos loucos pra chegar em casa e faltam um ou dois quarteirões, eles parecem os maiores do mundo. Se você está apertado, o banheiro parece estar mais longe que o habitual e quase sempre está ocupado (principalmente o feminino). Se você quer sair do trabalho e ir logo pra casa, os ponteiros do relógio não se mexem.
O que tem me incomodado bastante é como novembro está demorando a passar. Estão sendo os 30 dias mais longos do ano, parecem 60. Chega janeiro, mas não chega dezembro.
Explico os motivos de tanta afobação: mês que vem é mês de férias, descanso, leitura, várias horas de sono e viagem! Sem contar que esse ano velho já tá indo pro saco e um ano novinho vai começar. Hora de renovar os planos. \o/

Canção, teu nome é mulher

Biquíni Cavadão – Impossível

Há uma porção de canções com nomes femininos. Até mesmo o meu, que é mais incomum, tem a sua homenagem.
Em algum momento, vários homens apaixonados (ou mulheres, vai saber)  compuseram estas obras lindas para suas amadas, e acabaram fazendo tantas outras homônimas felizes.

Não tenho a intenção de colocar todos os títulos que conheço (há várias destas listas no google), apenas alguns que mais gosto:

Mutantes – “Virgínia” \o/
Nenhum de Nós – “Camila, Camila”
Biquíni Cavadão -” Janaína” / “Daniela”
The Dresden Dolls – “Delilah”
Boston – “Amanda”
Los Hermanos – “Ana Júlia”
Santana – “Maria, Maria”
Christophe – “Aline”

Killing in the name of…

Robin Thicke – Lost Without You

A gente sempre acha que tem “opiniões formadas” sobre pessoas que matam pessoas. São coisas do tipo: “Gente assim tem que apodrecer na cadeia“, “Bandido bom é bandido morto“, etc. Mas, eis que um dia você descobre que na sua família há um caso assim…aliás, há vários.
Foi o que aconteceu comigo e isto me forçou a pensar sobre o assunto a partir de outro ângulo, porque fiquei cara a cara com um parente que cometeu assassinato. Eu olhava bem pra pessoa e não conseguia acreditar como ela pôde ter feito isso. Uma pessoa tão nova, tão calma, sentada ali, me mostrando fotos onde estávamos juntos, anos atrás,  bem antes de tudo acontecer. Várias perguntas passam pela cabeça: será que ele se arrependeu do que fez? Ou faria de novo? Os anos na prisão trouxeram coisas positivas? Ou foram apenas um período do qual só quer se esquecer?
Eu não sei o que se passa na mente dele e não tive coragem de tocar no assunto. Ele não se parecia com o que eu imaginava de um assassino. Aliás, de perto, ninguém é o que parece.

Dá pra fazer piada de tudo

Goo Goo Dolls – Hate This Place

hitlerwithdog A minha monografia teve como tema o Nazismo, que aliás sempre gostei de estudar (não, não sou favorável a esta ideologia). Bem, durante alguns meses eu só lia, respirava e discutia nazismo. Por causa disso, até ganhei, de um amigo meu,  um exemplar de “Mein Kampf” (“Minha Luta”, aquele livrinho básico que o Hitler escreveu enquanto amargava uns meses na cadeia).
Bem, meses antes de me dar este livro, este mesmo amigo, me deu um gato/gata (um dia conto esta história), que por sua vez pariu outros 4 gatinhos, serelepes, que faziam cocô por toda a casa.
Certa vez, terminei de ler um capítulo do Mein Kampf e fui até o quarto para guardá-lo. Eis que vejo um desses “presentinhos fétidos” no chão. Coloquei o livro na estante e corri pra pegar papel higiênico pra limpar o cocô. Quando volto, deparo-me com a cena: o livro havia caído, bem em cima do quê? Sim, exatamente. Lei de Murphy with lasers, baby. É batata!

Então, criei este post apenas para fazer uns trocadilhos toscos:
Hitler ficou na merda”.
ou ainda:
Mein Kampf é uma bosta“.

Putz, confesso, é falta do que fazer mesmo. Tô enrolando aqui  na net esperando começar Grey’s Anatomy. o.O

P.s.: Ah! Por sorte minha, conseguir limpar o livro a tempo e não ficou nem cheirinho de cocô. \o/

A verdade dói

A Pior Banda do Mundo – Mantenha-me Desenformado

Vovó

Não me lembro de muitas coisas da minha infância. Sinto que começei a “me dar por gente” aos 14 anos, então tudo o que vem antes disso é  meio escasso e embaçado na memória. Mas me recordo de gostar, por exemplo, do programa matinal da Vovó Mafalda (“Sessão Desenho”). Eis que um belo dia, não sei como, descubro que ELA era na verdade ELE (nome: Valentino Guzzo)! Sério, eu não sabia disso! OK, ok é uma coisa que é óbvia pra todo mundo, mas eu era muito novinha, sei lá, acreditava em tudo, acreditava no que eu via: uma avozinha na tv, oras. Naquele momento meu mundo caiu, foi uma coisa difícil de entender: como é que colocam um senhor vestido de avó apresentando desenhos na tv? Isso não faz o menor sentido! Uma avó de verdade não teria o mesmo efeito?
E daí em diante tudo foi diferente pra mim porque eu passei a questionar todos aqueles ensinamentos que a Vovó Mafalda sempre dizia pras crianças: “comam verduras e frutas, tirem boas notas, respeitem o papai e a mamãe”.
Nunca  mais fui a mesma.

Obs. 1: Nunca é tarde para relembrar o velho clássico da Vovó Mafalda: Tumbalacatumba. Eu recomendo.
=)

Obs. 2:Nunca entendi o sapato na cabeça dela mas é original, confesso.

Obs. 3: Não é que achei outra pessoa que sofreu a mesma desilusão que eu? Eis o texto.

Obs. 4: Decepção número 2 sobre Vovó Mafalda: ela, digo, ele é pai da Beth Guzzo. Argh!

A mania do supermercado

Keane – Somewhere Only We Know

Ser um ser humano é ter manias. E ficar mais velho significa ter mais manias. Torna-se quase um hobby colecioná-las.
Mas algumas existem desde a nossa infãncia. Como as manias do supermercado:

Desde pequena, vou ao supermercado com a minha mãe. Mas há duas fases: a primeira, na infância, quando eu AMAVA fazer compras, implorava sempre pra mãe me deixar ir, ficava dentro do carrinho, querendo comprar todas as guloseimas de embalagens coloridas e ela quase não me levava. E a segunda fase, já adulta: vou todo mês, por obrigação, fico em pé todas aquelas horas cansativas, pesquisando preços, lendo embalagens, encarando filas enoormes e o que é pior, não caibo mais dentro do carrinho! Triste.
Bem, voltando, tenho as minhas sessões favoritas no supermercado: a parte de cds, livros e revistas; a parte dos chocolates e a sessão de verduras. Por quê? Porque estava sempre “em busca da cenoura perfeita” (era pra ser um trocadilho com a música do D2, mas foi uma piada tosca, eu sei). Enfim, sempre me intrigava ver aquelas cenouras com formatos estranhos e, quanto mais torta, melhor. É raro ver isso, mas há cenouras com duas ou três pontas ou parecidas com a letra S. Mais estranho ainda uma menina parada ali, sorrindo ao ver uma cenoura bizarra. o.O
E outra mania surgiu com aqueles potes de tempero pronto, cheinhos de alho sabe? Pego um e fico ali cheirando-o, pelo máximo de tempo que eu conseguir, até que alguém veja e eu me sinta constrangida. Alho tem um cheiro ótimo. Eu recomendo.

Eu voltei e agora é pra ficar, porque aqui é o meu lugar…

Aerosmith – Janie’s Got A Gun

19 dias e 2 horas. Este foi o arrastado e sofrido tempo que fiquei sem internet esses dias (o pior dia foi quando me vi sem internet, sem créditos no celular, sem dinheiro e SEM CHOCOLATE, inferno astral total). Tudo por culpa de um raio que caiu aqui no bairro e queimou meu modem e a placa de rede. Aliás, tiro um dia só pra contar todos os problemas que esse computador já teve. Eu acho que é caso de mandar benzer.
Mas enfim, trocentas mil coisas pra ler e me atualizar e 158 email na caixa. Fora os spams no orkut pra apagar. Mas o peixe tá de volta à água. \o/