De sádico e de louco o meu amigo tem um pouco…

Chicago – Can’t Fight This Feeling

Eu: eu fico mais te enchendo o saco que falando sério
Lucas: hauuhaa eu sei, você acha q eu não sei?
se tivesse falando sério, eu já teria te dado um tiro na cara auhuahauhuaa
e olha que eu sou muito democrático, né?
Eu: minha nossa! …eu te denunciaria na delegacia da mulher e não tiraria a queixa 😛
Lucas: auhauhauhuhaauha eu ia mandar carta bomba pra você
já sei o endereço
Eu: ¬¬ eu jogo óleo quente em você, porque também sei onde mora 😛
Lucas: é…quero ver como você vai carregar o óleo quente sem as mãos
Eu: eu vou esquentar ele aí mesmo baby 😛 ou pago alguém pra isso.. enfim..é o de menos… mas o importante é que você vai amanhecer com a boca cheia de formigas
Lucas: eu com formigas na boca e você sem pele, desfigurada,
pelo menos vou morrer logo e você sem mãos, horrenda? ninguém mais vai te querer!!!
huauhaauhahu se tornará uma amaldiçoada
Eu: credo :O seu sem-graça…apelou, perdeu :/ hehehehehehe
Lucas: auhauhhuaahu eu não apelei, foi a imaginação que aflorou
Eu: você é sádico 😛
Lucas: hauhua não, não sou. Sou justo, não?
Eu: super ¬¬

 

Anúncios

Conversas estranhas…

Bread – Guitar Man

Essa foi uma das pérolas que achei “fuçando” arquivos no pc:

F – um pacto de silêncio, então
V – pacto de silêncio ? silêncio num chat?
C- vaca amarela
V pulou a janela
C- cagou na panela
V – não era pulou a janela?
C – aprendi panela
V por que ela cagaria na panela?
C – Como uma vaca pularia a janela?
V – é mais fácil isso que aquilo
como ela ia mirar e acertar a panela?
gente…como vocês aprenderam a música?
F – qual ?
V da vaca amarela
vaca amarela, pulou a janela ou cagou na panela?
eu acho que ela não cagaria na panela…não é do feitio das vacas
F – janela
C – É só alguém segurar uma panela embaixo do * dela

o.O

Bichos – parte 1

Mates Of State – Running Out

Sabe quando você vai ao zoológico e, passando pela jaula do tigre, você o vê lá, andando de um lado para o outro, durante hooooras? É até meio triste, o bichinho podia estar em seu habitát natural, rodeado de “vida selvagem” mas não, é obrigado a ficar ali, num cubículo vazio, sozinho.
Pois é…tô me sentindo exatamente assim nesses últimos dias, aqui em casa. Ando pra lá e pra cá o dia todo, sem conseguir me aquietar em nenhum lugar. Não tenho um nome exato para dar a essa sensação. Só sei que não chega a ser “tédio”, talvez seja algo próximo a um “desconforto”.

All I can do is try

♫ Nelly Furtado – Try

Sábadão em casa, sem ânimo para terminar as coisas do trabalho. Ninguém no msn. Calor demais para executar qualquer outra atividade. No máximo, aventuro-me pelo mundo do artesanato. Aliás, falando nisso, algumas idéias andam brotando, querendo crescer e tomar forma. Sei onde isso vai dar não… mas como diz aquela música Drive do Incubus: “o que quer que o amanhã traga, eu estarei lá”.